Nello´s - Cantina e Pizzeria

Um pé na cozinha
e outro no cinema

Conduzido desde 1974 pela família dos italianos Nello e Rina de Rossi, o Restaurante Nello’s conquistou uma legião de fãs movidos pelo lema: “boa comida, preço justo e simpatia”.

Local de encontro de intelectuais e artistas e eleita ponto turístico referencial em São Paulo, a casa pitoresca e exibe relíquias intrigantes da fase neo-realista do cinema italiano e lembranças das produções de Nello, ator, diretor e produtor de cinema e criador do bordão “Bonita camisa, Fernandinho”, que fez história na publicidade da televisão brasileira.

Uma breve
história

01

Napoléon

Tudo começou em Roma, com D. Italia, a dona de um Café, e seus cinco filhos. Em 1926, Augusto, o mais velho, foi convidado para fazer um filme na França com Abel Gance. Napoléon, estreiou em 1927 e se tornou o maior clássico do cinema mudo francês

02

Rodolfo, chi?

Augusto era um excelente dançarino e fazia um número de dança com Rodolfo, um companheiro, também italiano, nas noites de Paris. Animada com o sucesso cinematográfico de Augusto, a dupla resolveu partir em direção à América, rumo a Hollywood, para tentar o estrelato. Chegando lá, Augusto realizou uma dezena de testes, sem sucesso. Seu companheiro, entretanto, conseguiu um contrato com um grande estúdio. E adotou o nome de Rodolfo Valentino.

03

Il piccolo ma giá grande astro!

Enquanto isso, na Itália, Nello, o irmão mais novo, se tornara ator prematuro, participando aos 14 anos do primeiro filme italiano feito em Cine Cittá, Feroce Saladino, em 1937. No ano seguinte, estrelou Piccoli Naufraghi, alcançando o status de astro.

04

Arrivederci Roma...

Embalado nos sucesso repentino e tutelado pelo irmão Augusto, Nello resolveu tentar a sorte nos Estados Unidos. Chegaram a Nova Iorque em dezembro de 1941. No dia 7, os japoneses bombardearam Pearl Harbor. Os Estados Unidos entravam na Segunda Guerra e os italianos se tornavam seus inimigos. Enquanto Augusto era deportado de volta à Itália, Nello, sendo menor de idade, teve de permanecer em Nova Iorque, iniciando uma vida dura como imigrante vindo de um país inimigo.

05

Neo-realismo na Itália

Terminada a guerra, a vida de Augusto, havia tomado caminhos estranhos. Dera baixa no exército italiano e decidira tentar negócios na América do Sul. Corriam os anos 50, quando Nello retornou a Roma. E logo se envolveu com cinema novamente, participando do movimento neo-realista. Trabalhou com a nata: Roberto Rossellini, Aldo Fabrizi, Mario Bonard, Vittorio de Sica, entre outros. E foi dentre as estrelas italianas que escolheu como esposa D. Rina.

06

Restaurante em New York

O sonho de viver “The American Way of Life”, fez valer ao casal o desafio de migrar para a América. Recém-casados, estabeleceram-se em Nova Iorque, aonde Nello ajudou na fundação do Orsini´s, um dos restaurantes mais elegantes da cidade.

07

Trastevere e o Brasil

Não foi por acaso que o Nello se aventurou pelo Brasil, trazendo mala, cuia e família. Desde o final da década de 50, Augusto havia estabelecido em São Paulo o restaurante Trastevere e o havia convidado diversas vezes a tentar negócios no Brasil. O destino triste e irônico, no entanto, fez com que o Nello viesse para o Brasil, somente em 1973, por ocasião do falecimento do irmão. Encerravam-se os mais de 25 anos do glamour de Augusto nos salões da cidade: o Trastevere, que havia recebido quatro presidentes da república, astros e estrelas, nacionais e internacionais e todo tipo de celebridades, fechava suas portas para sempre!

08

Família unida, jamais será vencida!

Mas o sucesso do irmão deixou uma curiosa semente plantada. Contra todo o bom senso, o encanto pelo Brasil e a possibilidade de iniciar seu próprio estabelecimento acabaram por conquistar Nello e fornecer-lhe a coragem para migrar novamente, agora com a família aumentada. Com seus 3 filhos ajudando, foi em dezembro de 1974, que o casal vislumbrou a possibilidade do sucesso, num sobradinho de Pinheiros. As receitas de D. Rina e sua exigência de que todos os pratos sejam preparados na hora ganharam, aos poucos, clientela e notoriedade por toda São Paulo.

09

Cinema no Brasil?!

Mas o sucesso do restaurante não apagou a chama da paixão pelo cinema. Nello e sua família, produziram importantes filmes para o Brasil. Festa, de Ugo Giorgetti, permanece como o maior ganhador de Kikitos do festival de Gramado, com 6 estatuetas. E Cassiopéia, de Clovis Vieira, colocou o Brasil no mapa do cinema mundial, tendo sido o primeiro desenho animado de longa metragem inteiramente digital do mundo, antes mesmo de Toy Story, dos estúdios Disney.

10

Bonita camisa, Fernandinho!

Foi com essa campanha publicitária que, além de tudo, o Nello voltou a ser ator consagrado. Quem diria, depois de quase 50 anos! Fez diversos filmes publicitários para empresas como US Top, Sadia, Mercedes-Bens, Pepsi, Estrela, Estomazil e tantas outras. Mas, se olharem com cuidado, notarão que o salão do restaurante tornou-se seu grande palco. É aqui onde continuam se desenrolando as histórias da familia, onde se contam os casos e se fazem grandes amigos.

11

O homem que virou filme!

Em 2007, Nello fez 70 anos de cinema com uma grande festa e a presença de vários artistas. E em 2008 foi homenageado no Festival de Cinema de Brasília com um documentário sobre sua vida. Apropriadamente, o filme de André Ristum ganhou o nome de Nello´s e foi agraciado com a Menção Honrosa da Associação Brasileira de Documentaristas. Foi o auge de mais de 70 anos dedicados ao cinema.

12

A Familia cresce...e abre uma filial.

Nello e Rina tiveram 4 filhos e 10 netos e com tanta gente na família resolveram abrir uma filial. O bairro escolhido foi a Vila Leopoldina. Daniela e Massimo, com ajuda do neto mais velho e também Augusto, começaram a tocar a nova casa, que, construída para reaproveitar água pluvial, contando com energia solar e voltada para a reciclagem, conserva e amplia nossa tradição culinária. E, assim como em Pinheiros, nos tornamos a primeira cantina do bairro!

13

Cai o pano!

Em 2013, Nello e Rina fizeram 60 anos de casamento. E tivemos as duas casas reconhecidas pelo governo italiano no programa Ospitalitá Italiana, que certifica pequenas embaixadas culturais da Itália ao redor do mundo. Foi também o aniversário de 80 anos de D. Rina. Entre tantas alegrias, nosso querido Nello saiu de cena, deixando seu exemplo admirável de coragem, talento e paixão pela vida. E, em nós, a saudade eterna que procuramos honrar com nosso trabalho!

14

A Personalidade Comendadora!

Em 2014, D. Rina foi condecorada com a comenda da Cruz do Mérito Gastronômico conferida pela Câmara dos Deputados. Justo reconhecimento da paixão pelo que se faz! Em 2015, ganhamos nosso primeiro prêmio internacional em Santiago do Chile: o Latin American Quality Award, no setor de alimentação. E D. Rina foi homenageada como o prêmio de Personalidade Gastronômica de São Paulo pela revista Veja SP. E fez o apanhado em timbre materno e maduro de nossa história: “Anni alti, anni bassi, anni felici anni tristi…l’importante è che siamo ancora insieme a ricordarli”. (Anos bons, anos ruins, anos felizes, anos tristes!… O importante é estarmos ainda juntos para recordar-los!)